Universidades americanas recebem estudante da Católica em intercâmbio

O contato com uma nova cultura e a oportunidade de vivenciar o ambiente acadêmico em solo americano são, por hora, os pontos destacados pela estudante de Medicina da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Júlia Fabião, que está fazendo intercâmbio nos Estados Unidos. Desde que partiu para o exterior, Júlia cursou um ano acadêmico na Universidade de Nevada (University of Nevada), em Reno, e, agora, está estagiando na Universidade de Yale (Yale University), na área de Neurobiologia.
No Brasil, a acadêmica do quarto ano trabalhava como aluna de Iniciação Científica no Laboratório de Neurociências Clínicas da UCPel quando foi incentivada a se inscrever para realizar graduação-sanduíche pelo Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) do Governo Federal. “Mais ou menos em julho de 2013 abriram as inscrições e, juntamente com o meu amigo Guilherme, resolvi me inscrever. Foi um processo longo de quase um ano para a aplicação”, contou.
Aos 23 anos de idade, Júlia disse acreditar que a experiência que está tendo será muito válida para o seu futuro. “Tive a oportunidade de ter acesso a várias tecnologias na universidade que eu não conhecia, além de conhecer a realidade acadêmica daqui. Além disso, estar trabalhando numa excelente universidade, como a Yale University, está sendo uma oportunidade incrível. Estou aprendendo a logística do funcionamento da pesquisa nos EUA, com todas as tecnologias possíveis e com professores renomados. Isso será muito importante, pois poderei usar o que estou aprendendo na minha vida acadêmica e no meu futuro”, afirmou ela, que deve voltar para o Brasil no mês de agosto.
Sobre o programa
Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. O projeto é uma iniciativa conjunta dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC. Por esse intermédio, alunos de graduação e pós-graduação recebem bolsa enquanto fazem estágio no exterior, com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação.

foto da notícia