Aluna da UCPel e participante do Cetres carregam a tocha olímpica

Um momento histórico. Os primeiros jogos olímpicos da América do Sul serão no Brasil e Pelotas fez parte da rota do principal símbolo olímpico: a tocha. Entre os 37 condutores da tocha na cidade, pelo menos dois têm estreita relação com a Universidade Católica de Pelotas (UCPel): Lígia Maria da Silva, egressa da UCPel e participante do Centro de Extensão em Atenção à Terceira Idade (Cetres), e Júlia Neugebauer, estudante do primeiro ano do curso de Medicina.
Uma no início dos estudos acadêmicos, aos 19 anos, a outra com grande bagagem na vida, com 73. O ponto em comum é o amor pelo esporte. Lígia ingressou na UCPel em 1969 para cursar Pedagogia. Na sequência, concluiu também História e pós-graduação em História do Rio Grande do Sul, na Católica. Hoje faz parte do Cetres. No concurso de seleção de condutores da tocha, Lígia enviou em texto sua história para uma das três patrocinadoras do evento, a Coca-Cola. “Quando fui selecionada, não podia acreditar. É um evento grandioso em todos os sentidos, tanto pela brasilidade quanto pela união promovida pelo esporte”, afirma.
 
A senhora faz parte do Clube de Veteranos de Tênis do Brasil, onde realizou um trabalho voluntário iniciado em 1999, doando materiais escolares e dando aulas de apoio aos sábados para as crianças e jovens que recolhiam as bolinhas de tênis do Dunas Clube. Ela acredita que fez parte da formação deles. “Dois dos meus alunos já são formados em Educação Física. Outros dois estão estudando para ingressar no curso de Direito” comemora. Ainda hoje a professora aposentada ajuda doando materiais escolares aos trabalhadores do clube, com dinheiro arrecadado pelos jogadores de tênis do local. Ela percorreu com a tocha em mãos um percurso de 200 metros, partindo na Rua Santos Dumont, no Centro da Cidade.
Lígia ainda contou a sensação de fazer parte do maior evento do esporte no mundo. “Pelotas inteira estava prestigiando. Foi lindo. O caminhão da Coca-Cola, que acompanha o trajeto, até brincou sobre a minha disposição”, descontraiu. Indagada sobre a importância da UCPel em sua vida, foi categórica: “Entrei na UCPel em 1964. Sem a Católica eu não seria eu. Esta instituição faz parte da minha vida, e até comento com minhas amigas que a energia da UCPel é única. Sou apaixonada!”, confessa.
Relação estreita com o esporte
Júlia Neugebauer teve seu texto enviado para as três patrocinadoras do evento: Nissan, Bradesco e Coca-Cola. Foi selecionada pelos três. “Já pratiquei todo o tipo de esporte”, conta. Na redação encaminhada para o concurso, contou sobre sua história com o esporte. Principalmente com a ginástica artística, esporte que fez a jovem representou Pelotas país a fora. 
Júlia conduziu a tocha entre o fim da Rua Santos Dumont e início da Avenida Fernando Osório. “O sentimento foi de muita ansiedade e empolgação. Não conseguimos nem sentir o frio! A organização do evento nos deixou muito seguros. O momento da condução foi simplesmente indescritível, me senti dentro das Olimpíadas. Ver a emoção das pessoas ao meu redor, e saber que provavelmente nunca mais terei a oportunidade de carregar a tocha, tornou tudo isso muito mágico”, comemora.
A estudante irá até o Rio de Janeiro para acompanhar a final por equipes da ginástica e assistirá também dois jogos de vôlei. Além de tudo isso, Júlia se sentiu orgulhosa por, de certa forma, representar a Universidade. “Foi muito legal, me deu um grande orgulho representar a UCPel”, afirma. 

foto da notícia