Treinamento prepara professores da UCPel para atuação no Laboratório de Simulação Realística

Um novo espaço voltado para o aprendizado de acadêmicos dos cursos da saúde da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) está em funcionamento. O Laboratório de Simulação Realística conta com manequins mais modernos e interativos, voltados para a realização do trabalho de simulação realística em ambiente controlado. 
Para implantação do Laboratório, as professoras e coordenadoras do espaço, Ana Cristina Kraemer Moraes e Samantha Maagh, realizaram uma grande pesquisa para definir a estrutura. Sala de aula, sala de emergências equipada com sistema de som e de vídeo e uma sala de Debriefing (discussão) – para visualização de todo o atendimento que estiver sendo realizado nos manequins – foram criadas junto ao Laboratório de Habilidades.
Três manequins, sendo um que permite desenvolver simulações de média e de alta fidelidade (interação com o meio externo, permitindo a ausculta cardíaca, pulmonar, intestinal, traçado cardiológico, sons vocal e respiratório, via aérea, sondagens, entre outras funções); e manequins adulto e infantil para realização de ressuscitação cardiopulmonar, composto por sistema interativo e informatizado que permite controlar a eficiência das compressões cardíacas e das ventilações, dentro dos parâmetros e do protocolo da American Heart Association, foram adquiridos. 
Devido ao sistema interativo, os acadêmicos poderão corrigir as suas ações durante o treinamento, explica a professora Samantha. Desfibrilador automático externo para ressuscitação cardíaca além de novos manequins para o treino de habilidades em intubação orotraqueal e acesso venoso central foram comprados para o Laboratório de Habilidades.
De acordo com as duas docentes, a metodologia de ensino mudará devido aos novos investimentos. ”O professor deixa de ser instrutor e passa a ser um facilitador do aprendizado, enquanto o aluno passa a ser o protagonista e se torna responsável pelas decisões e ações”, comenta a professora Ana. A metodologia ativa de ensino envolve várias técnicas e muito planejamento para a aquisição e consolidação das competências pelo aluno, complementa Samantha.    
Entretanto, mesmo com os novos investimentos, os acadêmicos continuarão prestando atendimento para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). “O Laboratório de Simulação realística não substitui o atendimento do paciente real, que vai continuar acontecendo como programado no currículo, mas permite que o aluno treine em manequim e em ambiente seguro os procedimentos mais comuns da prática, principalmente nas emergências”, explica Samantha. 
Desde 2014, a UCPel conta com um espaço para o treinamento de procedimentos médicos e de enfermagem. O manequins existentes até então eram de baixa fidelidade. A aquisição de manequins mais modernos e interativos para trabalhar em simulação realística contempla as novas diretrizes do MEC para o ensino médico.
A pesquisa para a reformulação do laboratório iniciou há um ano, com visitação a outros centros, participação em congressos, aquisição de manequins e realização de reforma do antigo espaço, lembra a professora Ana. “A nossa inspiração surgiu de modelos de laboratórios de simulação de faculdades de Medicina do Brasil, Chile e Argentina, que atuam há mais de 10 anos com simulação”, informa.
Treinamento 
Alguns professores dos cursos de Medicina e Enfermagem já participaram de um treinamento para conhecer o manuseio dos manequins e da estrutura oferecida pelo novo laboratório. Em dezembro ocorrerá curso de Capacitação Docente para Facilitador do Laboratório de Simulação Realística e será administrado por professores convidados e pelas coordenadoras do laboratório, professoras Ana Cristina Kraemer Moraes e Samantha Maagh. 
A partir de 2018, novas capacitações serão organizadas para docentes que tiverem interesse em utilizar o laboratório. A participação na capacitação é importante devido a nova metodologia diferente da convencional. Inicialmente, o Laboratório será utilizado por acadêmicos dos cursos da Medicina e de Enfermagem e, posteriormente, o seu uso será ampliado para outros cursos da área da saúde. 
Redação: Rita Wicth – MTB 14101

foto da notícia