Professores de Medicina recebem capacitação para uso de tecnologia 3D

Professores do curso de Medicina da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) receberam, nesta quinta-feira (22), treinamento sobre a utilização da Mesa Sectra. O equipamento de alta tecnologia foi adquirido recentemente pela Instituição e auxiliará os discentes a compreenderem a anatomia humana em imagens tridimensionais na disciplina de Morfofisiologia. A Católica é a primeira instituição gaúcha a disponibilizar aos seus estudantes a tecnologia. 
Durante o treinamento, realizado no Instituto Médico Legal, os professores foram apresentados às inúmeras funções que a Mesa oferece, como a manipulação de imagens em 3D, a possibilidade de estudar o corpo humano por camadas, o acesso a casos médicos reais ocorridos pelo mundo e a questões com alternativas objetivas e de múltipla escolhas. Além disso, o equipamento vai viabilizar ao acadêmico o contato com a anatomia humana desde o começo da graduação. 
De acordo com o professor de Medicina Legal e Morfofisiologia da UCPel, Wladimir Duarte, essa possibilidade traz inúmeros benefícios, visto que o volume de teoria é cada dia maior e tecnologias como essa permitem que os professores contextualizem na prática os conhecimentos ensinados. “A possibilidade de relacionarmos teoria e imagem, já desde o primeiro ano, vai facilitar a memorização do aluno e tornar o aprendizado mais eficiente”, destacou Duarte. 
Já na visão de Pedro Funari, também professor de Morfofisiologia na UCPel, mesmo que a manipulação de peças cadavéricas seja insubstituível, a união da tecnologia oferecida pela mesa e da prática já utilizada na faculdade facilitará o aprendizado, além de tornar mais eficiente o contato dos alunos com os pacientes durante o internato. Isso ocorrerá, segundo ele, porque o aluno já terá ideia da anatomia humana, através da manipulação das imagens em três dimensões. 
A UCPel é a primeira universidade do estado a adquirir a Mesa Sectra, que já está presente em 47 países. Através da nova aquisição, os casos reais atendidos pelos alunos da UCPel, quando inseridos no banco de imagens do equipamento, também poderão ser estudados em mais de duas mil instituições de ensino no mundo que possuem a tecnologia.

foto da notícia