Ícone do site Medicina

HUSFP obtém registro para eliminação da Hepatite C em unidades de diálise

O Serviço de Nefrologia do Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP) obteve o Registro Brasileiro para Eliminação da Hepatite C nas Unidades de Diálise. A iniciativa pretende identificar pacientes portadores de hepatite C em diálise para tratá-los de acordo com o protocolo clínico vigente. A clínica de diálise do hospital da Católica de Pelotas é a única da região sul a receber essa certificação. 

Criado pela Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), em parceria com a Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) e o Instituto Brasileiro do Fígado (IBRAFIG), o projeto analisa pacientes com sorologia positiva para HCV, promove a consultoria com especialistas hepatologistas e encaminha para tratamento.

Conforme o diretor do Centro de Referência em Nefrologia do HUSFP, Franklin Barcellos, o projeto certifica e incentiva, através da conscientização, para importância da eliminação do vírus nas unidades de diálise do RS. “O atual tratamento disponível é seguro e eficaz para pacientes portadores de doença renal crônica em estágio avançado, sendo todo custeado pelo Sistema Único de Saúde”, explica.

Censo de Diálise da SBN

De acordo com a SBN, dados recentes do Censo de Diálise estimam uma prevalência de sorologia positiva para Hepatite C em pacientes em diálise é muito superior em relação à população geral. “A prevalência da doença em pacientes que realizam terapia renal pode ser até cinco vezes maior”, comenta Barcellos. 

O tratamento para a Hepatite C beneficia toda a população portadora do vírus. Especialmente, pacientes com doença renal crônica sem o vírus e que necessitam realizar transplante têm um prognóstico melhor se comparado ao paciente submetido ao transplante com sorologia positiva para o vírus C.

 

Certificação 

O Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP) é o único da região a ter uma clínica de diálise com a certificação. Para o diretor do HU, Márcio Slaviero, o reconhecimento mostra a qualidade dos serviços capitaneados pelos doutores Barcellos e Maristela Bohlke. “Isso reforça o cuidado que ambos têm no manejo do paciente com doença renal crônica. Nos sentimos orgulhosos de fazer parte dessa equipe”, disse. 

Na avaliação do doutor, a obtenção do registro possibilita a identificação e o tratamento mais adequado aos pacientes que necessitam de diálise. “Ainda, é estimado que a estratégia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), consiga reduzir em 90% a incidência do vírus e diminuir em 65% a mortalidade dos indivíduos portadores do vírus C”, pontua.

Desde 2006, o HUSFP é credenciado pelo Ministério da Saúde como Centro de Referência em Nefrologia.

 

Redação: Rita Wicth – MTB 14101

Sair da versão mobile