Sistema Digestivo

Cavidade Oral: Lâmina 59 (H.E), Lâmina 62 (H.E)

Mucosa da cavidade oral:
Mucosa mastigatória, mucosa de revestimento e mucosa especializada.
- Epitélio estratificado pavimentoso queratinizado e não queratinizado
- Lâmina própria de tecido conjuntivo de frouxo (papilar) a denso (reticular)
Língua
Órgão basicamente muscular revestido por mucosa oral lisa na porção ventral e especializada na face dorsal. A musculatura da língua é formada por feixes musculares organizados em três orientações de músculo estriado esquelético interposto com tecido conjuntivo.
Face dorsal
Saliências especializadas nas funções mecânicas e gustativas.
- Papila filiforme: pontiagudas, com função mecânica
- Papilas fungiformes: forma de cogumelo com função gustaviva
- Papilas circunvaladas: circundadas por um sulco profundo onde desembocam os ductos das glândulas salivares seromucosas de Von Ebner.
- Papilas folhadas: não vizualizadas nesta lâmina.
Corpúsculos Gustativos: estrutura organizada em forma de barril que contém células de sustentação, basais e neuroepiteliais (sensoriais). Eles ocupam toda espessura do epitélio estratificado plano.

Dente

- Esmalte: substâncias mais duras do corpo, 98% de material inorgânico. Cobre a porção visível do dente (coroa).
- Dentina: situada logo abaixo do esmalte envolve a cavidade pulpar. Contém cerca de 75% de hidroxiapatita.
- Pré-dentina: quando mineralizada forma a dentina
- Odontoblastos: células colunares responsáveis pela síntese de matriz da pré-dentina
- Cavidade pulpar: compartimento de tecido conjuntivo vascularizado e inervado localizado no centro do dente envolvido pela dentina. Apresenta a mesma forma do dente.
- Cemento: camada delgada que cobre a raiz do dente, parte do dente que se encaixa no osso alveolar. Possui células que secretam o cemento: cementoblastos
- Cementócitos: envolvidos pelo cemento.
- Ligamento periodontal: feixes de fibras colágenas orientadas em várias direções (fibras de Sharpey).
- Gengiva: mucosa oral que reveste parcialmente o dente.

Obs: Periodonto: nome dado a todos os tecidos envolvidos na fixação do dente à maxila.

Glândulas Anexas do Tubo Digestivo
Glândulas Salivares Maiores: Lâmina: 77 (HE)

  1. Parótida
    Glândula exócrina acinosa composta
    Envolvida por cápsula de tecido conjuntivo que emite septos que sustentam e dividem o parênquima em lóbulos, levando vasos sanguíneos e filetes nervosos.
    1. Porção secretora
      - Ácinos serosos: células piramidais com núcleos centrais.
    2. Porção ductal
      Ductos intralobulares
      Ducto Intercalar: luz pequena, células cúbicas e basófilas.
      Ducto Estriado: luz evidente, células cilíndricas e acidófilas.
      Ductos extralobulares ou excretores.
      Ductos revestidos por epitélio estratificado contendo luz bem evidente. Estes ductos situam-se circundados abundantemente por tecido conjuntivo (septos).
    OBS:
    Estroma: tecido conjuntivo de sustentação reponsável pela vascularização e inervação.
    Parênquima: tecido epitelial de revestimento e glandular, ácinos e ductos.

Glândulas Salivares Mistas: Lâminas: 78 (HE) e 78A (PAS)
b) Submandibular

Glândula exócrina tubuloalveolar composta
- Cápsula e septos
- Unidades secretoras serosas (núcleos centrais), mucosas (núcleos basais) e mistas (meia lua seromucosa).
- Ductos intralobulares e extralobulares já descritos aqui anteriormente. A coloração em P.A.S evidencia os ácidos mucosod ricos em carboidratos.
Que aparecem corados em púrpura

Lâmina: 79 (HE)
c) sublingual

Glândula exócrina tubulosa composta
- Cápsula: tecido conjuntivo
- Septos: tecido conjuntivo com vasos e nervos
- Unidades secretoras mistas
- Ductos intralobulares e extralobulares. Ambos descritos na lâmina 77.

Fígado: Lâminas 100X: 85, 82A, 83
Lóbulo Hepático

- Placas de hepatócitos dispostas radialmente no lóbulo hepático são circundados por tecido conjuntivo.
- Veia centrolobular: situada no centro do lóbulo.
- Capilares sinusóides (células endoteliais e células de Küpffer) localizados entre as placas de hepatócitos.

Fígado de porco (Gomori): Lâmina 85

Lâmina ideal para estudo, pois apresenta os septos lobulares bem definidos, possibilitando identificar todo o arranjo estrutural e o espaço porta.

Fígado Humano (HE): Lâmina 82

Observar o aspecto geral do preparado e a difícil definição pela delicadeza dos limites lobulares quando comparados com a lâmina de fígado de porco.

Lâmina 83

A imagem mostra um corte de fígado de rato corado com Hematoxilina Crômica, com o objetivo de evidenciar o trajeto percorrido pela Bili à partir dos canalículos biliares situados entre as placas de hepatócitos. Os canalículos coram em preto e são vistos tanto em corte transversos, quanto longitudinais, pois apresentam um trajeto variado, irregular. A Bile deixa os canalículos Biliares, atinge o Canal de Hering e chega aos ramos do Ducto Biliar, localizados nos espaços porta.

Vesícula Biliar: Lâmina 86

a)Túnica Mucosa
- Epitélio cilíndrico simples com microvilosidades
- Lâmina própria: tecido conjuntivo frouxo

b)Túnica Muscular
- Músculo liso plexiforme entremeado com tecido conjuntivo perimuscular

c)Túnica Serosa / Adventícia

Pâncreas: Lâmina 80A

- Porção Exócrina: Glândula Exócrina Acinar Composta
a) Ácinos serosos
b) Células centroacinares
c) Ductos excretores
- Porção Endócrina: Glândula endócrina cordonal
Formado por Ilhotas pancreáticas ou Ilhotas de Langerhans organizadas em cordões celulares. Essa região é facilmente identificada pelo arranjo celular característico e por se apresentar pouco corada.
- Células Alfa: glucagon, hiperglicemiante
- Células Beta: insulina, hipoglicemiante
- Células Delta: somatostatina, ação anti-secretória.

Esôfago: Lâmina 67 (HE)

Tubo Digestivo
- Mucosa
Epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado sobre lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo. Apresenta muscular da mucosa formada por músculo liso orientado longitudinalmente à parede do órgão.
- Submucosa
Tecido conjuntivo contendo glândulas esofágicas mucosas. Em alguns locais aparecem ácinos mistos e serosos.
- Muscular
Camada interna circular e camada externa longitudinal.
Terço superior: Tecido muscular estriado esquelético
Terço médio: Tecido muscular esquelético e liso (misto)
Terço Inferior: Tecido muscular liso
- Adventícia/Serosa
Tecido conjuntivo contendo vasos sanguíneos, linfáticos, nervos e tecido adiposo contínuo com a traquéia no terço superior e médio (adventícia) e no terço inferior é limitada externamente por mesotélio (serosa).
Adventícia/Serosa
Tecido conjuntivo contendo vasos sanguíneos, linfáticos, nervos e tecido adiposo contínua com a a traquéia no terço superior e médio (adventícia) e no terço inferior é limitada externamente por mesotélio (serosa).

Estômago: Região Cárdica - Lâmina 68 (HE)

Mucosa
A lâmina representa a região exata de transição entre o esôfago e o estômago. A região que faz vizinhança com o esôfago apresenta as mesmas características descritas pela lâmina 67. Após a transição do epitélio para cilíndrico simples começam a aparecer glândulas tubulares e a presença das fosselós típicas característicos do estômago.
Lâmina própria com glândulas cárdicas e criptas pouco profundas.
A muscular da mucosa em alguns locais apresenta circular interna, longitudinal e externamente outra camada circular, entretanto não se visualiza todas estas orientações nesta lâmina.
Submucosa
Tecido conjuntivo sem glândulas
Muscular
Tecido muscular liso
Camada interna: obliqua
Camada média: circular
Camada externa: longitudinal
Serosa
Já descrita.

Estômago: Região Pilórica - Lâmina 70 (HE)

Mucosa
Fossetas muito desenvolvidas e glândulas pilóricas curtas.
Submucosa, Muscular e Serosa típicas já descritas.

Intestino Delgado
Duodeno: Lâmina 71 (HE)

Mucosa
A caracterização do intestino delgado se dá pela presença de vilosidades revestidas por epitélio cilíndrico simples contento células absortivas sustentadas por lâmina própria repleta de criptas ou glândulas de Liebercküm. A musculatura de Brücke a qual é responsável pela motilidade das vilosidades, pode ser vizualizada no interior das vilosidades.
Submucosa
Tecido conjuntivo contendo vasos e nervos onde estão as glândulas de Brünner responsáveis por uma secreção altamente básica para neutralizar a acidez do suco gástrico.
Inseridas no tecido conjuntivo existem agrupamentos de células basófilas que integram o complexo nervoso denominado de plexo submucoso de meissner.
Muscular
Circular interna: apresenta fibras musculares lisas dispostas ao longo do corte.
Longitudinal Externa: fibras musculares lisas cortadas transversalmente.
Presença do plexo mioentérico de Auerbach no tecido conjuntivo perimuscular facilmente visualizado entre as camadas musculares.
Serosa
Tecido conjuntivo contendo vasos e nervos limitado por mesotélio.

Jejuno-Íleo: Lâmina 49 (HE)

Nesta lâmina encontramos as mesmas características acima descritas, porém com a ausência das glândulas de Brünner na submucosa do Jejuno, sendo caracterizada por apresentar um tecido conjuntivo contendo o plexo submucoso de Meissner.
Entretanto na porção do Íleo a submucosa apresenta folículos linfóides confluentes conhecidos nesta região pela denominação de Placas de Peyer.

Intestino Grosso
Cólon: Lâmina 73 (HE)

Mucosa
Ausência de vilosidades, criptas de Lieberkhüm bem desenvolvidas e abundância de células caliciformes caracterizam bem esta lâmina do cólon. Em alguns preparados podem ser vistos folículos linfóides e a presença de infiltração linfocitária na lâmina própria.
Submucosa
Tecido conjuntivo com vasos e plexo submucoso de Meissner
Muscular
Circular interna e longitudinal externa. Esta última é modificada e forma as tenias do cólon.
Presença plexo mioentérico de Auerbach
Serosa
Presença de muitos vasos sangüineos.

Reto: Lâmina 74 (HE)

O reto é o único local do intestine grosso que apresenta pregas da mucosa.
As glândulas de Lieberkhüm são pouco desenvolvidas ou menos profundas que na lâmina anterior.
A presença de folículos linfódes fixos não é muito comum nesta região.
Ausência de mesotélio aparece apenas adventícia.

Canal anal: Lâmina 75 (HE)

Corte da passagem anorretal identificamos parte da lâmina mantendo muitas características do reto, com muitas criptas de Liberkhüm cortadas transversalmente, e parte do limite anocutâneo, mantendo características de pele. A região anocutânea pode mostrar anexos tegumentares como folículos pilosos e glândulas sebáceas. Na submucosa do conduto anal há muitas veias pertencentes ao plexo hemorroidário. A transição destas duas regiões é marcada pela mudança de epitélio de revestimento cilíndrico simples para estratificado plano.

Apêndice: Lâmina 48 (HE)

Pelas características gerais deste preparado identificamos características do intestino grosso em todas as camadas vizualizadas. O pequeno diâmetro deste corte transversal mostra uma luz irregular e a presença de muitos folículos linfóides no córion, caracterizando a região do apêndice cecal. Observa-se também que as criptas de Liberkhüm estão um pouco reduzidas em função das formações linfóides aí presentes que impossibilitaram maior desenvolvimento das mesmas. As células caliciformes por sua vez estão em menor quantidade que em outras regiões do intestino grosso. Por fim a presença do peritôneo é evidente.

© 2009 Atlas de Histologia Médica / UCPel
UCPel