Realizar intercâmbio durante a universidade é um sonho comum entre muitos estudantes. Aliás, tem gente que opta por viajar para o exterior, mas tem também aqueles que escolhem fazer um intercâmbio nacional.

Este é o caso da Ende Santos, estudante de Medicina na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Durante um mês, a acadêmica desenvolveu estágio na Unidade Básica de Saúde (UBS) Areal I, administrada pela UCPel.

Além disso, a experiência do intercâmbio possibilita contato com uma cultura totalmente diferente. Assim, desenvolve habilidades – tanto pessoais, quanto profissionais. Dentre elas, podemos destacar autonomia, liderança e flexibilidade, por exemplo.

Vinda para a UCPel

Através de um edital da International Federation of Medical Students Association (IFMSA), que oferecia estágio em saúde da família, Ende veio para a UCPel. Conforme a estudante, a escolha se deu pela matriz curricular da Católica.

“Fazendo pesquisas percebi que era muito voltada para atenção primária e isso me interessou por ser uma abordagem que eu já havia vivenciado”, explica.

Intercâmbio em APS

A Atenção Primária em Saúde (APS) é a principal porta de entrada para atendimentos no Sistema Único de Saúde (SUS). Dessa maneira, é responsável por diminuir o fluxo das áreas especializadas.

Além disso, considera o sujeito em seu contexto, ao realizar o tratamento próximo do domicílio – em Unidades Básicas de Saúde, por exemplo. Para Ende, na APS é possível considerar as diferentes dimensões do processo saúde-doença.

“É pensar em promoção e prevenção a partir da produção de espaços de diálogo, com troca de vivências e encorajamento da autonomia dos sujeitos para suas escolhas durante o processo de cuidado”, completa a estudante.

Principais diferenças

O Brasil é um país de dimensões continentais. Portanto, proporciona uma diversidade cultural. Entre Rio Grande do Sul e Bahia, Ende destaca inúmeras diferenças. Aliás, algumas delas, entre os cursos, a jovem comenta no vídeo abaixo. Aperte o play! 🎥

Já com relação à formação médica, a intercambista pontua o fato das UBS’s serem administradas pelas Universidades. Assim, segundo comenta, a organização e lógica de atendimento são totalmente diferentes.

Essa inserção dos estudantes na comunidade ainda enriquece o compartilhamento de casos reais em sala de aula. Ademais, quanto à saúde, a maior diferença estava na questão cultural.

“O importante é a competência cultural e a gente vai adquirindo. Pois, a ideia do intercambio é justamente essa, sair da zona de conforto e conhecer outras realidades pra ir se aproximando e saber lidar com elas”, acredita.

Atividades do intercâmbio

Intercâmbio nacional: estudante da Bahia com alunas da UCPel sorrindo, em plantão médico

Apesar de estar alocada na UBS Areal I, a intercambista pôde aproveitar para conhecer diversos espaços. Clica no vídeo abaixo e confere por onde a Ende passou: 👇

De volta com uma bagagem maior

De volta à Bahia, Ende acredita ter levado junto muito além do aprendizado proporcionado pelo intercâmbio nacional. Certamente, na bagagem, guarda os laços de amizade, as trocas e o acolhimento. Isso tudo sem contar o choque de cultura com toda a vivência e experiência.

Bacana, né? Sair da nossa zona de conforto, em outras palavras, instiga o autoconhecimento. Caso você planeja fazer um intercâmbio, baixe nosso Guia do Intercâmbio e fique por dentro de tudo o que você precisa saber antes de embarcar nessa aventura.

Quer entrar na UCPel?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *