áreas da medicina

A carreira médica oferece inúmeras possibilidades. Isso porque dá para se dedicar a uma das diversas áreas da medicina depois de formado. Sem contar que o profissional ainda pode se tornar gestor em uma instituição de saúde, professor ou seguir na vida acadêmica como pesquisador.

Assim, após cerca de 6 anos de estudo em tempo integral, é hora de escolher um caminho. Caso a opção seja uma especialidade médica, é preciso estudar para um dos programas de residência médica oferecidos em todo o país. Muitos estudantes optam por uma área ainda durante a faculdade, uma vez que no internato passam por diferentes campos de atuação, como pediatria, ginecologia, clínica médica, entre outras.

De qualquer forma, essa não é uma decisão fácil. Afinal, são necessários anos de estudo para se especializar e muito esforço para ganhar experiência e conquistar espaço no mercado. No entanto, optar por uma área é fundamental para quem quer ser bem-sucedido na medicina, tanto pelas oportunidades de carreira quanto pelo maior retorno financeiro. 

Então, o que considerar, de fato, ao escolher uma das áreas da medicina? Bom, isso pode depender de diversos fatores. No entanto, para ajudar você, montamos um guia com tudo que precisa saber sobre as especialidades médicas. Confira!

Quais são as principais áreas da Medicina?

Em 2017 a Resolução Nº 2.162/2017 apresentou a lista atualizada das 55 especialidades médicas reconhecidas no Brasil. A norma foi definida por um consenso entre o Conselho Federal de Medicina (CFM), junto da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e a Associação Médica Brasileira (AMB). Estas duas instituições são as responsáveis pela gestão dos programas de residência oferecidos no país.

Além dessas especialidades, o documento também reconhece a existência de diversas áreas de atuação que, por seu caráter mais específico, ainda não são consideradas especialidades. Ou seja, um médico pode ser um especialista e optar por atuar em uma área de atuação mais específica, como um cardiologista que se capacita na realização de ecocardiografias.

De modo geral, as áreas da medicina delimitam uma atuação aprofundada em um tipo de cuidado. Desse modo, um médico se especializa em tratar as doenças e problemas que surgem em uma determinada parte do corpo. 

A lista completa de todas as especialidades e áreas de atuação podem ser vistas na página do CFM. Abaixo, você pode acompanhar as mais importantes, seja pela grande demanda por profissionais, seja pelo destaque que recebem no meio médico.

  • Alergia e imunologia: é a área que trata de invasores alérgenos e as formas de defesa do organismo;
  • Anestesiologia: cuida da aplicação de anestésicos e analgésicos em procedimentos e do manejo da dor;
  • Cardiologia: trata de doenças e problemas relacionados ao coração e à circulação sanguínea;
  • Cirurgia geral: responsável pela realização de procedimentos cirúrgicos em diferentes partes do corpo;
  • Clínica médica: cuida de aspectos sistêmicos do organismo, sendo considerada um atendimento primário ou atenção básica;
  • Dermatologia: trata de doenças da pele e seus anexos;
  • Endocrinologia e metabologia: atua na atenção a distúrbios do metabolismo pelo mau funcionamento do sistema endócrino;
  • Endoscopia: envolve a abordagem diagnóstica e cirúrgica por meio de instrumentos endoscópicos de imagem;
  • Gastroenterologia: trata as doenças do sistema digestivo;
  • Geriatria: cuida de todos os aspectos do envelhecimento, inclusive a prevenção;
  • Ginecologia e obstetrícia: envolve o cuidado com a saúde da mulher em todas as fases da vida, inclusive o período gestacional;
  • Hematologia e hemoterapia: estuda os elementos do sangue, suas patologias e aplicações terapêuticas;
  • Infectologia: trata de infecções virais, bacterianas, fúngicas e seu caráter epidemiológico;
  • Medicina da família: aborda os problemas de saúde inseridos no ambiente familiar e da comunidade;
  • Medicina do trabalho: cuida da prevenção e do tratamento de doenças motivadas pelo ambiente de trabalho e o exercício profissional;
  • Medicina intensiva: trata de pacientes em situação de risco de morte, evitando possíveis complicações;
  • Medicina legal e perícia médica: é a área que oferece suporte nas investigações criminais e periciais;
  • Nefrologia: estuda as doenças no sistema renal;
  • Neurocirurgia: realiza intervenções cirúrgicas no sistema nervoso central e periférico;
  • Neurologia: trata dos aspectos clínicos dos problemas no sistema nervoso;
  • Nutrologia: estuda os distúrbios alimentares;
  • Oftalmologia: previne e trata doenças nas estruturas oculares;
  • Oncologia: estuda e trata os diversos tipos de câncer;
  • Ortopedia e traumatologia: atua no tratamento de problemas nos músculos e ossos, principalmente as relacionadas às fraturas e outros tipos de traumas;
  • Otorrinolaringologia: trata as doenças do ouvido, do nariz e da garganta;
  • Patologia: estuda a origem e o desenvolvimento científico e clínico das doenças;
  • Pediatria: cuida da prevenção e do tratamento de doenças em crianças e adolescentes;
  • Pneumologia: trata das doenças locais e sistêmicas relacionadas ao sistema respiratório;
  • Psiquiatria: cuida de transtornos mentais e comportamentais do indivíduo;
  • Reumatologia: cuida de doenças articulares e estruturais de origem reumática e inflamatória;
  • Urologia: cuida da saúde das vias urinárias e do sistema reprodutor do homem.
Powered by Rock Convert

O que esperar do futuro para as áreas da Medicina?

Agora que você pode ver algumas das principais áreas da medicina, queremos mostrar aquelas com mais potencial de crescimento nos últimos anos. Isso pode acontecer pelo desenvolvimento de novas abordagens e tecnologias e, também, pela maior demanda por algumas especialidades. Veja a lista a seguir.

Clínica médica

O médico generalista deve ganhar cada vez mais espaço, uma vez que ele cuida da atenção primária aos pacientes. Com o avanço tecnológico, tendem a ter uma demanda crescente com a possibilidade de atendimento por meio da telemedicina e o acompanhamento remoto com o uso de diferentes dispositivos, podendo contribuir ainda para a prevenção de doenças.

Geriatria

O envelhecimento da população mundial tem aumentado e deve ampliar cada vez mais a procura por geriatras. Além disso, a especialidade se destaca pelo seu caráter preventivo, tendo em vista a maior preocupação das pessoas em combater os sinais do envelhecimento precoce e retardar seus efeitos no corpo humano.

Oftalmologia

Essa área médica também tem grande potencial devido ao envelhecimento das pessoas, uma vez que muitos problemas da visão surgem com o avanço da idade. Sem contar que o desenvolvimento de novos aparelhos e implantes oculares estão revolucionando a oftalmologia, devolvendo a capacidade de enxergar a muitos pacientes.

Medicina do exercício e do esporte

Essa modalidade pode ser bastante beneficiada pelo desenvolvimento de novas tecnologias que contribuam para a melhoria da prática esportiva por atletas e de exercícios físicos por pessoas comuns. A tendência é que a área cresça tanto pela necessidade de melhorar a performance quanto para a prevenção de problemas decorrentes de lesões.

Oncologia

O aumento nos casos de câncer têm contribuído para uma maior procura por oncologistas. No entanto, para os próximos anos, é esperado que a demanda por esses profissionais cresça em áreas de pesquisa e desenvolvimento de novos tratamentos e procedimentos cirúrgicos.

Dermatologia

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a aparência e em combater o envelhecimento precoce, ao mesmo tempo que surgem novas doenças e problemas de pele. Assim, a indústria tem investido pesado no desenvolvimento de tecnologias e procedimentos dermatológicos clínicos e estéticos, dando maior destaque ao dermatologista.

Urgência e emergência

Ainda há um grande déficit de especialistas em urgência e emergência, apesar dessa ser uma das áreas com maior demanda nos serviços de saúde. Além disso, as inovações tecnológicas na área exige que os profissionais sejam cada vez mais capacitados.

Infectologia

O cenário de globalização tem permitido que as doenças se espalhem em uma velocidade muito maior, como é o caso da pandemia do coronavírus. No entanto, essa área da medicina conta com poucos profissionais especializados na prevenção e no tratamento de doenças infecciosas, bem como no desenvolvimento de vacinas e novos protocolos.

Cirurgia

A cirurgia é uma das áreas da medicina que mais devem se beneficiar do desenvolvimento tecnológico. Novos procedimentos, além de cirurgias robóticas e com o uso de inteligência artificial e modernos equipamentos, podem elevar a precisão dos cirurgiões, contribuindo para o destaque desses profissionais.

Como a tecnologia tem transformado o trabalho em Medicina?

O avanço tecnológico sempre fez parte da medicina. A diferença é que agora as inovações acontecem em uma velocidade muito maior. A tecnologia como conhecemos hoje, com equipamentos modernos e automatizados, aparelhos eletrônicos, softwares e aplicativos, está revolucionando a rotina dos médicos e a forma como eles lidam com os pacientes.

Assim, tecnologias como a Internet das Coisas (IoT), a robótica, a inteligência artificial, o Big Data e a impressão 3D estão impactando a aplicação e o ensino da medicina. Essas ferramentas estão permitindo a melhoria no desenvolvimento de métodos e procedimentos, contribuindo para a prevenção, o diagnóstico e o tratamento de doenças.

Essas inovações já podem ser vistas na rotina de muitas áreas da medicina. É o caso de pequenos aparelhos usados para o monitoramento da atividade cardiovascular de pacientes na cardiologia; braços robóticos usados em modernos procedimentos cirúrgicos; além dos modernos equipamentos de diagnóstico por imagem.

Todas essas tecnologias estão contribuindo para o aumento da eficiência e da segurança no atendimento e nas intervenções. Os pacientes também podem ter acesso a tratamentos de maior qualidade, até com o atendimento de especialistas em outras localidades e a obtenção de diagnósticos mais precisos. 

O sistema de saúde como um todo pode ser beneficiado por uma gestão mais eficiente, com o uso de sistemas completos que cuidam de diferentes aspectos da administração de clínicas, hospitais e laboratórios. Assim, os médicos podem se dedicar melhor ao atendimento aos pacientes e ao desenvolvimento profissional.

Portanto, de modo geral, a tecnologia tem contribuído para que as áreas da medicina sejam cada vez mais especializadas. A tendência é que os médicos se tornem profissionais requisitados não apenas pela sua especialização, mas também pelo conhecimento técnico específico em determinado assunto ou procedimento.

Quais são as áreas médicas mais rentáveis? 

Diferentes fatores podem influenciar na escolha por uma das áreas da medicina. Entre eles estão as oportunidades de carreira e a rentabilidade, uma vez que algumas especialidades têm maior demanda no mercado e são mais bem remuneradas. 

É importante destacar que a remuneração pode variar bastante de acordo com a instituição, a localização e a própria experiência do profissional. Ou seja, mesmo que a expectativa seja alta, a rentabilidade pode depender das escolhas, das oportunidades e da preparação de cada um.

De qualquer forma, ainda que o retorno financeiro não deva ser um fator determinante na sua decisão, é importante considerá-lo. Por isso, listamos abaixo as áreas médicas mais rentáveis.

Powered by Rock Convert

Neurocirurgia

A neurocirurgia tem uma alta demanda e ainda conta com poucos profissionais. Além disso, é bem remunerado por realizar procedimentos de alta complexidade e grande risco para os pacientes. 

O neurocirurgião pode atuar em hospitais e clínicas particulares e públicas. Atende casos relacionados ao sistema nervoso, como câncer, traumas na cabeça e na coluna, e na reparação de danos nos nervos e na região da medula. 

Cirurgia geral

Da mesma forma, o cirurgião geral também é bem remunerado e bastante requisitado por realizar procedimentos complexos e de grande risco. Além disso, costuma ser bem pago por ter uma atuação ampla, podendo fazer procedimentos em diferentes partes do corpo. Sem contar que muitas vezes é solicitado para auxiliar em outros procedimentos mais específicos, como em cirurgias plásticas, quando envolve uma abordagem mais sistêmica.

Cirurgia plástica

A preocupação com a aparência e os cuidados estéticos têm aumentado consideravelmente nos últimos anos. Por isso, não é de se admirar que a cirurgia plástica seja uma das áreas da medicina que ofereçam melhores retornos financeiros.

O alto valor dos procedimentos se justifica não apenas pela grande demanda, mas também pela alta tecnologia aplicada. A cada dia são desenvolvidas novas técnicas que melhoram a aparência dos pacientes, sendo menos invasivas e mais seguras.

Os cirurgiões plásticos atuam ainda na recuperação de pessoas acidentadas, com lesões ou com queimaduras graves. Assim, contribuem para devolver a autoestima desses pacientes.

Dermatologia

Também relacionada à preocupação com a aparência, a dermatologia tem se destacado bastante no campo estético. Os procedimentos são complexos, caros e com alta tecnologia agregada.

Mas os dermatologistas podem atuar, ainda, no tratamento de diferentes doenças de pele, que têm se tornado mais comuns nos últimos anos. Problemas como a má alimentação, a maior exposição ao sol e o envelhecimento precoce podem ter graves consequências na pele, exigindo um cuidado especializado.

Ortopedia

O ortopedista é outro profissional bastante requisitado e bem remunerado. Ele atua, principalmente, na recuperação de lesões e fraturas. A boa remuneração se deve à complexidade de muitos tratamentos e também a sua duração, pois muitos pacientes precisam ser acompanhados por meses ou até anos, dependendo da gravidade do problema.

A atuação em ortopedia de modo geral pode ser bem ampla. O profissional pode atender em consultórios, clínicas e hospitais, particulares e públicos. Uma grande tendência é a criação de centros integrados de recuperação e reabilitação, com o atendimento multidisciplinar por ortopedistas, fisioterapeutas, educadores físicos, entre outros profissionais.

Anestesiologia

Por fim, outra área que não costuma receber a mesma atenção das anteriores, mas que é bem remunerada é a anestesiologia — não é por acaso, já que é bastante requisitada. Afinal, todo procedimento cirúrgico, mesmo os menos invasivos, precisam contar com a participação desse profissional, contribuindo para uma alta empregabilidade.

O anestesista tem um conhecimento muito específico, devendo lidar com o manejo da dor e da consciência do paciente em cada procedimento e durante a internação. Deve entender quais substâncias são mais adequadas e as quantidades exatas. Qualquer deslize pode ter consequências graves. 

Powered by Rock Convert

7 dicas de como escolher a área certa da Medicina para atuar

Falamos sobre o mercado, o futuro e até as possibilidades mais rentáveis na carreira médica. Depois de tudo que apresentamos até aqui, é provável que você já tenha preferência por algumas áreas da medicina. Veja nossas dicas para tirar as suas dúvidas e ajudar na sua escolha!

1. Considere suas aptidões

Um primeiro ponto e um dos mais importantes é pensar naquilo que você tenha uma maior inclinação. Ou seja, é bom optar por uma especialidade em que tenha mais facilidade e tendência para se desenvolver. Para alguns, isso já é claro antes mesmo de entrar na faculdade, ou então, as preferências aparecem no ciclo básico do curso ou no internato.

Se você não conseguiu se identificar claramente com apenas uma área, pense, por exemplo, em como se sentiria trabalhando muitas horas em um laboratório. Considere, também, sua capacidade de lidar com pessoas ou de resolver problemas rapidamente, como em situações de emergência.

A verdade é que cada especialidade médica vai exigir algumas aptidões com as quais os profissionais se identificam mais ou menos. Assim, é fundamental conhecer a si mesmo, e saber quais são os seus pontos fortes.

2. Conheça a rotina na especialidade

Da mesma forma, é essencial investigar como é a rotina em cada área médica. Afinal, enquanto algumas são mais agitadas, com longas horas em centros cirúrgicos e pronto socorros, como urgência e emergência e cirurgia geral, outras são mais tranquilas, com uma rotina de consultório, como a dermatologia e a geriatria.

Além disso, em alguns casos, é necessário se envolver mais com os pacientes, com um atendimento humanizado. Sem contar o tempo aplicado na atualização, com a leitura de muitos artigos ou com prática de novos métodos e tecnologias. Algumas especialidades vão impor horários mais difíceis, enquanto outras permitirão uma agenda bem flexível.

O fato é que tudo isso é importante de ser analisado, pois cada área da medicina tem uma rotina específica. É necessário saber conciliar o dia a dia da especialidade com as aptidões de cada um.

3. Considere as tecnologias da área

Essa dica, por sua vez, está mais relacionada às tendências de mercado do que às suas preferências. Isso quer dizer que é bom ficar de olho naquelas áreas com maior potencial de avanços tecnológicos, pois elas tendem a se desenvolver mais e ganhar mais espaço. 

Obviamente, tudo isso deve estar condicionado aos dois fatores que mencionamos antes. No entanto, não significa que você não possa acompanhar as principais tecnologias de qualquer que seja a área escolhida. 

4. Analise seus planos

Já falamos sobre a necessidade de se conhecer a rotina de cada área médica. Depois disso, é necessário ponderar quais são os seus planos e objetivos de vida, além de trabalhar. É o caso de casar, ter filhos, viajar, fazer um mestrado entre outras coisas que você considere importante.

Muitas vezes, pode ser muito difícil conciliar a rotina médica com outros aspectos da vida, principalmente a parte pessoal. Ao mesmo tempo, um profissional pode se sentir muito frustrado caso não consiga manter outras atividades além do trabalho. 

Portanto, estude todas as suas possibilidades e, se possível, faça um planejamento. Coloque metas de tudo que você pretende conquistar e em que momento. Pode ser que seja necessário frear a carreira algumas vezes para conquistar tudo que deseja.

5. Conheça a concorrência do mercado

Com a abertura de novos cursos de medicina nos últimos anos, a concorrência no mercado aumentou bastante, com mais médicos se formando na faculdade. O problema é que muitos médicos recém-formados podem se interessar pelas mesmas coisas, disputando as melhores oportunidades em programas de residência médica e de emprego.

Dessa forma, é fundamental acompanhar a concorrência e conhecer o mercado de trabalho. Existem algumas áreas bastante disputadas nas residências médicas e com poucas oportunidades no mercado, enquanto outras são menos visadas e contam com uma alta taxa de empregabilidade. Ou seja, o melhor é ficar de olho e acompanhar as oscilações do mercado, ainda que esse não deva ser um fator mais importante a ser analisado, em comparação às suas aptidões e às características de cada especialidade.

6. Observe os comportamentos do mercado

Se até algum tempo era comum o distanciamento entre o médico e seus pacientes, hoje, busca-se uma relação mais forte entre o profissional e as pessoas. O atendimento humanizado é uma grande tendência na medicina, mostrando como o mercado pode oscilar.

O mesmo acontece em relação ao entendimento sobre novas tecnologias e os conhecimentos em gestão. É muito interessante para um médico entender esses comportamentos do mercado de saúde, sendo que em algumas áreas essa característica é ainda mais marcante.

7. Procure algo que estimule você

Por fim, é fundamental falarmos sobre as motivações que o fizeram optar pela carreira de medicina. O melhor é escolher uma área que desperte o seu interesse e estimule você a ser o melhor profissional que puder. 

Por mais sonhador que isso possa parecer, é muito importante se sentir motivado em todos os momentos da sua carreira e não apenas ao entrar na faculdade. Pois é isso que vai manter a sua capacidade de trabalho e impulsioná-lo a se destacar no mercado, atendendo aos seus pacientes da melhor forma possível.

Enfim, existem diversas áreas da medicina com grande potencial de desenvolvimento e com boas possibilidades de carreira. A escolha por uma delas vai depender de diversos fatores. Por isso, pesquise e pondere bastante antes de se decidir.

Gostou de saber mais sobre as áreas da medicina? Quer conferir mais dicas sobre a carreira médica? Então, assine nossa newsletter e não perca nenhuma atualização do blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *