programa de pesquisa

O curso de graduação em medicina oferece diferentes oportunidades de aprendizado e capacitação aos estudantes. É o caso da participação em um programa de pesquisa, nos quais são desenvolvidos projetos de iniciação científica. Nele, os alunos podem vivenciar a vida acadêmica de outra forma, trabalhando a capacidade de investigação e o senso crítico.

O objetivo é incitar desde cedo o interesse pela área científica nos alunos, que poderão contribuir no futuro com a produção de conhecimento. É uma oportunidade dos estudantes terem uma aprendizagem diferenciada, focada na pesquisa e no desenvolvimento. Esse tipo de projeto é oferecido pelas melhores faculdades, em diferentes áreas do conhecimento.

Mas como funciona o programa de pesquisa e quem pode participar? É realmente vantajoso fazer iniciação científica? Se você faz ou quer fazer Medicina, continue lendo e tire as suas dúvidas sobre o assunto. Vamos lá?!

O que é um programa de pesquisa de Medicina?

Um programa de pesquisa é um projeto que busca formar e qualificar os estudantes a fazerem pesquisa científica ainda na graduação. Nele são estudados diferentes termos de interesse da área médica, por meio de metodologias científicas apropriadas para buscar soluções para hipóteses e dúvidas do meio.

A ideia é motivar os estudantes a seguirem na área de pesquisas, despertando neles o interesse em participar de diferentes projetos, congressos, simpósios acadêmicos e outros eventos que discutam o conhecimento médico. Assim, poderão contribuir de alguma maneira para a produção científica em determinado campo de atuação.

Para tanto, o aluno de medicina que participa de um projeto de iniciação científica tem a orientação de professores pesquisadores da própria faculdade. Isso contribui para a construção de conhecimento, uma vez que os orientadores incentivam os estudantes a desenvolverem o raciocínio crítico e a visão de um pesquisador.

Dessa forma, os alunos ganham cada vez mais autonomia para desenvolver seus projetos, sendo uma oportunidade única para a troca de saberes e experiências, expandindo o conhecimento adquirido em sala de aula.

Para participar de um programa de pesquisa, é necessário que o aluno submeta um pré-projeto, que será avaliado pelos professores orientadores. Se aprovado, o estudante terá um prazo estabelecido para o fim da pesquisa, no qual deverá apresentar os resultados obtidos. Em alguns casos, o participante pode receber uma bolsa de pesquisas vinculada à faculdade ou a um órgão de fomento.

Para que o projeto seja aprovado, é necessário conter:

  • delimitação clara de campo de estudo;
  • um problema específico e sem comprovação científica prévia;
  • uma hipótese a ser testada, podendo ser confirmada ou refutada ao fim do projeto;
  • levantamento da bibliografia que será usada para suporte da pesquisa;
  • coleta e análise de dados;
  • redação final do projeto, com os resultados.
Powered by Rock Convert

Por que programas de pesquisa para Médicos são tão importantes?

Ao participar de um programa de pesquisa, um estudante se destaca na graduação, dando um passo importante para conseguir oportunidades durante o curso e depois de formado. Ele está mais apto a seguir na área acadêmica e de pesquisas e também trazendo um grande diferencial para o mercado de trabalho. Veja os principais motivos para participar!

Melhoria do rendimento acadêmico

Dentro de um programa de pesquisa, o aluno desenvolve habilidades de escrita, comunicação e raciocínio crítico de maneira natural. Tudo isso faz muita diferença para o aprendizado acadêmico, sendo um reforço importante para a aprendizagem das disciplinas teóricas e práticas.

Além disso, aprende a lidar melhor com as pessoas, tendo mais facilidade em atividades de grupo e nas práticas de atendimento aos pacientes. Ou seja, são habilidades que serão úteis para toda a vida, indo muito além dos conteúdos de medicina.

Possibilidade de ingressar na pós-graduação

A iniciação científica ainda é uma ótima maneira de se preparar para os alunos entrarem na pós-graduação. Isso porque já adquirem os conhecimentos e aprendem os fundamentos da metodologia necessária para o futuro acadêmico.

Assim, independentemente se você deseja fazer residência médica, pós-graduação lato sensu ou um mestrado, um programa de pesquisa dá uma ótima base para a continuação dos seus estudos. Nele o estudante já adquire boa parte das experiências que o capacitam para a seleção e um bom desempenho acadêmico. Sem contar que conta pontos importantes para alavancar o currículo e fazer você se destacar diante da concorrência.

Preparação para o mercado de trabalho

No entanto, a iniciação científica não prepara apenas para a vida acadêmica e para formar professores e pesquisadores. Pelo contrário, ela é muito importante para a carreira médica como um todo.

Afinal, o estudante desenvolve habilidades técnicas e comportamentais que serão fundamentais para a atuação profissional. Aprende a lidar melhor com dificuldades, situações complexas e a buscar soluções para diferentes problemas. Ao entrar no mercado, o acadêmico de medicina que participou de um programa de pesquisa se destaca pela maturidade intelectual e pela capacidade de tomar decisões com maior autonomia.

Introdução ao meio acadêmico-científico

Agora, se seguir carreira acadêmica é o seu objetivo, certamente você estará bem mais preparado. Afinal, terá a oportunidade de desenvolver diferentes técnicas de pesquisa, se habituando ao método científico e a trabalhar com as variáveis e problemas da investigação científica em diversas áreas da medicina.

O fato é que esses elementos são essenciais para uma boa formação acadêmica, até mesmo para aqueles que não querem seguir essa carreira. Ora, o conhecimento científico é a base da medicina. Quem consegue conciliar teoria e prática tem bem mais chances de se dar bem na área médica, qualquer que seja suas escolhas.

 Desenvolvimento de habilidades comportamentais

programa de pesquisa

Em um programa de pesquisa, o estudante de medicina passa por uma experiência completa de aprendizado e desenvolvimento profissional e pessoal. Além do conhecimento técnico-científico, pode desenvolver habilidades comportamentais que serão um grande diferencial para o seu futuro de modo geral.

Essas habilidades, como capacidade analítica, resiliência, adaptabilidade e criatividade, são bastante valorizadas no mercado. Além disso, contribuem para diferentes aspectos da vida de um médico, incluindo a relação com os pacientes e a conciliação da carreira com outros interesses.

Construção de um networking qualificado

Outra vantagem de fazer iniciação científica é ter a oportunidade de conhecer pessoas importantes do meio acadêmico e profissional. É o caso não apenas dos professores e colegas, mas também de outros pesquisadores e médicos em congressos, simpósios e outros eventos.

Todas essas pessoas podem se tornar fontes de aprendizado, de indicações e de informações relevantes. Esse networking altamente qualificado poderá ajudar durante a faculdade e em toda a sua carreira médica.

Enriquecimento do currículo

Os estudantes que passam por um programa de pesquisa somam pontos valiosos na residência médica, no mestrado e no doutorado. Mas mais do que isso, enriquecem o currículo como um todo, sendo um grande diferencial para quem vai entrar no mercado de trabalho, conseguindo bons estágios e empregos.

Afinal, todas as vantagens descritas anteriormente já são reconhecidas por profissionais e instituições. A iniciação científica é reconhecida como uma importante experiência profissional e acadêmica ainda durante a graduação.

Como funciona a pesquisa científica na prática?

A partir do momento em que o aluno de medicina passa a integrar um programa de pesquisa, ele é inserido em um novo meio de aprendizado. Tudo começa com muita leitura, tanto de artigos científicos quanto de livros e periódicos. Também passa a participar de grupos de estudo, reuniões e outras formas de troca de conhecimento entre os integrantes da linha de pesquisa.

Junto do orientador, são feitos ajustes no projeto, como no caso da indicação de referências bibliográficas e a utilização de outras metodologias. Com um bom embasamento teórico, o estudante pode começar a desenvolver o experimento, que pode ocorrer em laboratórios, hospitais, clínicas ou outros espaços, dependendo do tema e do método utilizado.

Depois de colher os dados necessários dentro do período pré-determinado no cronograma, é hora de comparar e avaliar os resultados. Isso pode variar bastante de uma pesquisa para outra.

A partir dos resultados, deve-se verificar se a hipótese trazida no projeto foi comprovada ou refutada, ou seja, descartada como uma possibilidade científica. Por fim, é hora de escrever os resultados, que podem ser publicados em revistas e eventos científicos, servindo de base para novos estudos.

Como se introduzir em programas de pesquisa durante a graduação?

Se até aqui você ficou interessado em participar de um programa de pesquisa, agora é hora de explicar como você pode entrar. Confira a seguir um passo a passo.

Tenha um bom rendimento acadêmico

Um dos critérios considerados na escolha dos projetos de iniciação científica é o rendimento acadêmico. É preciso que o estudante tenha um bom coeficiente, que é a média das notas nas disciplinas. Também não poderá ter tido muitas reprovações. Tudo isso varia de acordo com o programa e a concorrência.

Invista em networking com a comunidade acadêmica

Ainda que não seja um fator decisivo, o seu relacionamento com os líderes das linhas de pesquisa pode influenciar bastante. Por isso, desde o início da faculdade, busque conhecer todos os professores e manter um bom relacionamento. Lembre-se que a iniciação científica vai ajudar a ampliar e fortalecer esse networking.

Participe de eventos e discussões de pesquisa

Alguns eventos, como simpósios e semanas acadêmicas são boas oportunidades para fortalecer o networking e demonstrar o interesse em determinada área de pesquisa. Sem contar que são muito importantes para fortalecer o seu currículo.

Conheça os programas de Iniciação Científica da faculdade

É importante ter atenção aos editais dos órgãos de fomento, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Cada estado também costuma ter o seu próprio órgão, sendo que algumas faculdades de medicina também têm seus programas de desenvolvimento científico, que costumam estar relacionados no próprio site da instituição.

Saiba qual linha de pesquisa é de seu interesse

Em seguida, veja quais são os professores responsáveis pela linha de pesquisa de seu interesse. Converse com um deles sobre sua vontade em participar de um projeto de iniciação científica, suas ideias e aproveite para tirar suas dúvidas.

Para ser aprovado, geralmente são considerados alguns critérios, como a relevância do tema e a originalidade do projeto. O desempenho acadêmico do estudante também pode contar bastante, principalmente quando a concorrência é alta.

Elabore um Projeto de Pesquisa

Caso o professor tenha interesse e disponibilidade em orientá-lo e suas ideias estejam dentro do escopo da linha de pesquisa, é hora de elaborar um projeto, de acordo com as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Ele deve ter:

  • resumo, com as ideias e objetivos principais do projeto;
  • justificativa, os motivos que explicam a relevância da ideia;
  • metodologia, que consiste nas técnicas usadas para a pesquisa;
  • cronograma, com todas as etapas e datas de realização; entre outras partes.

É importante ficar atento aos prazos para a submissão do projeto e a todos os requisitos indicados no edital, tanto para o estudante quanto para o pesquisador. Isso pode variar de acordo com a instituição e as próprias regras do programa.

Como um programa de pesquisa impacta na sua carreira de Medicina?

programa de pesquisa

Apresentamos diversos motivos para você participar de um programa de pesquisa em Medicina. No entanto, é importante destacar que ele não precisa definir a sua carreira médica. Não necessariamente você atuará na área dos seus estudos depois da graduação.

Por sinal, é natural mudar de interesses durante e após a faculdade, de acordo com o seu amadurecimento e o descobrimento de novas possibilidades. E é muito bom saber reconhecer e aproveitar todas as oportunidades que vão surgindo.

A grande diferença é que a iniciação científica prepara um profissional mais completo. Isso é válido na Medicina e em outras profissões. Você consegue acompanhar melhor as mudanças na realidade ao seu redor e se adapta a elas com mais facilidade. É capaz de perceber diferentes aspectos da área médica e contribuir de modo mais efetivo para transformá-la.

Além disso, os estudantes de iniciação científica desenvolvem naturalmente a capacidade de liderança, que será essencial para todo o desempenho na carreira médica. Essa característica pode ser percebida ainda na graduação, fazendo desse perfil de aluno um líder entre os demais.

Individualmente, depois de formado, o médico é capaz de se desenvolver sozinho, buscando novos conhecimentos, se atualizando e contribuindo para uma medicina ainda melhor. Por tudo isso, um programa de pesquisa se destaca como uma das principais ferramentas de aprendizado e desenvolvimento profissional.

Conseguimos tirar suas dúvidas de como funciona um programa de pesquisa? Então, compartilhe o artigo nas redes sociais para que seus colegas também possam entender sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *